quarta-feira, 26 de janeiro de 2011

Uma semana em São Paulo em busca de Acessibilidade

  Semana passada estive na terra da garoa, participando do Curso Acessibilidade na Prática, ministrado pelas arquitetas Carolina Fomin, Thaís Frota e Mariana Alves, na foto abaixo.
(Na foto acima, da esquerda para direita: Mariana Alves, Carolina Fomin e Thaís Frota. Acima delas uma projeção na parede de um dos slides da aula, mostrando ao centro o símbolo internacional de acessibilidade em meio a círculos coloridos e uma frase logo abaixo disso onde está escrito: Tipos de Deficiência.)

  Foram quatro dias de aulas e, como diz o nome do curso, pudemos viver a prática dos projetos de acessibilidade, após um breve resumo do conteúdo teórico. Este baseado na nossa bem conhecida norma de acessibilidade, a NBR 9050.
(A foto acima mostra ao centro as pessoas que participaram da turma da tarde do curso e nas pontas, do lado esquerdo de vestido floral azul Thaís Frota, e do outro lado, de vestido roxo Carolina Fomin.)

  Aproveitei os dias fora de Recife para fazer alguns passeios e conhecer o que há de acessibilidade em São Paulo. Nessa postagem falarei primeiro da melhor experiência, que infelizmente não é permitido o uso de máquinas fotográficas no local, o Museu do Futebol. Este é considerado um dos mais acessíveis do Brasil, e realmente fiquei encantada com o que vi...
(A foto mostra o Estádio Municipal do Pacaembu em seu acesso principal. No primeiro plano da foto estão carros estacionados e uma placa que diz: Museu do Futebol. Ao lado da placa, em outro plano mais atrás, estou eu de braços levantados).

segunda-feira, 24 de janeiro de 2011

Fenahall, uma feira nacional de artesanato no Recife.

  Aconteceu em Recife-PE, entre os dias 07 a 16 de janeiro, a Fenahall (Feira Nacional de Artesanato da Chevrolet Hall). Aproveitei que minha avó estava aqui na cidade e a levamos para passear.
   Logo na chegada a surpresa: vagas para idosos ou pessoas com deficiência não existiam. E qual a sugestão do segurança? "Deixa ela aí na calçada esperando enquanto vocês vão até o estacionamento". Qual a reação da minha vó? "E eu vou ficar sozinha aqui esperando?". Lógico que não fizemos isso, e ela teve que andar conosco o percurso do estacionamento até o acesso principal (e único) do evento.
 Após entrarmos não acabaram as surpresas.

domingo, 2 de janeiro de 2011

Agora sim, um Guia de verdade!

   Dessa vez escrevo não para falar especificamente de arquitetura, mas de uma boa iniciativa que envolve esse tema em acessibilidade.
   Em julho de 2010 foi lançado em Salvador-BA o Guia de Acessibilidade e Cidadania, como uma iniciativa pioneira da ONG Vida Brasil em parceria com o Governo do Estado da Bahia, o Conselho Regional de Engenharia, Arquitetura e Agronomia (CREA-BA) e a instituição francesa Handicap Internacional.