domingo, 2 de janeiro de 2011

Agora sim, um Guia de verdade!

   Dessa vez escrevo não para falar especificamente de arquitetura, mas de uma boa iniciativa que envolve esse tema em acessibilidade.
   Em julho de 2010 foi lançado em Salvador-BA o Guia de Acessibilidade e Cidadania, como uma iniciativa pioneira da ONG Vida Brasil em parceria com o Governo do Estado da Bahia, o Conselho Regional de Engenharia, Arquitetura e Agronomia (CREA-BA) e a instituição francesa Handicap Internacional.

   (A imagem acima possui um degradê da cor laranja (parte superior) para o verde claro (parte inferior). Do lado esquerdo está escrito Guia (primeira linha) de Acessibilidade e Cidadania (segunda linha) de Salvador (terceira linha) na cor verde escuro. Do lado direito aparece uma ilustração de um casal de costas e abraçados. O homem em pé, vestido de camiseta e bermuda e a mulher, sentada na cadeira de rodas. Ambos olham na direção do horizonte. )

   O Guia contém informações e dicas sobre locais e suas condições de visitação a todas as pessoas, mas tem como foco as pessoas com deficiência ou dificuldade de locomoção. O Guia apresenta desde locais para lazer (restaurantes, shoppings, parques, praças, teatros, museus) até locais de prestação de serviços públicos. O principal objetivo do Guia é "fornecer, prioritariamente, às pessoas com deficiência e mobilidade reduzida e entidades da área opções variadas de serviços e lazer que possuam alguma preocupação com a acessibilidade". 
   Segundo a ONG Vida Brasil responsável pela elaboração do Guia: "a proposta desta publicação não é afirmar que Salvador é acessível. No entanto, existem algumas iniciativas na promoção da acessibilidade que devem ser destacadas, não só como forma de valorização destes espaços, mas, principalmente, para apresentá-las às pessoas com deficiência ou com mobilidade reduzida. São espaços que mesmo sem condições de acessibilidade total apresentam uma possibilidade de uso (em alguns casos é preciso contar com ajuda),sem colocar a dignidade e a segurança do usuário em cheque."
   O Guia oferece informações desde como chegar no local (ônibus, local específico para estacionamento), horário de funcionamento, além de descritos as condições de calçadas, o nivelamento do piso, existência de rampas de acesso, o tipo de piso até chegar ao acesso principal, existência de sinalização para pessoas com deficiência visual e sonora para surdos, presença de banheiros acessíveis, etc.
   Enfim, depois de ter ficado chateada com o Guia de restaurantes do post anterior, agora encontrei um Guia que não só mostra um símbolo de acessibilidade relacionado a um restaurante, mas descreve as especificidades de 218 locais da cidade.
   Para elaboração do guia, foi formada uma equipe de profissionais das áreas de arquitetura e comunicação, além de estudantes dessas duas áreas e pessoas com deficiência. As experiências pessoais dessas pessoas foi bastante relevante na avaliação dos espaços. A pesquisa foi iniciada no ano de 2007, e os locais reavaliados em 2009 para a publicação do material.
   As cidades que não tem um projeto como esse estão atrasadas em torno de 04 anos em relação à Salvador... mas ainda há tempo, porque boas iniciativas devem sim ser copiadas!

Nenhum comentário: