quinta-feira, 20 de março de 2014

Acessibilidade em Ambientes Residenciais

   O tema acessibilidade nos faz pensar, quase automaticamente, em palavras como flexibilidade, facilidade na circulação, conforto, autonomia e segurança.
Além disso, este tema geralmente é associado apenas a cadeirantes. Acredito que o símbolo internacional de acesso colabore muito pra isso, mas temos que pensar no tema como a possibilidade de uso de um espaço ou mobiliário por toda e qualquer pessoa.
Em ambientes residenciais devemos pensar em todas as possíveis situações da vida que envolvam o usuário.  Não adianta o arquiteto pensar no projeto para o cliente na situação atual, pois daqui a alguns anos ele terá outras necessidades, mesmo temporárias, além de já poder ser um idoso.
   A exemplo disso pode-se ter um momento de recuperação pós cirúrgico, um membro imobilizado ou até mesmo o caso de uma gestação. Dessa forma, independente da situação que estiver vivendo o usuário possa usar a residência de forma confortável e viver sempre bem.
   Dessa forma, pensar em móveis posicionados de forma a deixar o ambiente livre para circulação de cadeiras de rodas e andadores permite grande mobilidade aos espaços, como o uso de mesas com cabeceiras livres permitindo a aproximação por pessoas em cadeiras de rodas. 

                       Foto: acervo escritório arqMULTI Arquitetura 
(Descrição para cego ver: a foto mostra parte de uma cozinha. Em primeiro plano uma mesa de jantar com tampo de vidro e pés em aço inox. As cadeiras nas laterais deixam a cabeceira livre. Esta mesa está encostada em um painel com TV. Ao fundo da foto uma parede amarela com bancada e armário inferior suspenso.)


                         Foto: acervo escritório arqMULTI Arquitetura
(Descrição para cego ver: a foto mostra em primeiro plano uma sala de jantar. Mesa com cadeiras em madeira, dispostas nas laterais, deixando a cabeceira livre. A outra cabeceira encostada em um painel também em madeira. Ao fundo a sala de estar com sofá e parede com sign colorido aplicado.)

   Outros recursos também podem ser utilizados, como instalação de torneiras nas laterais, para facilitar seu alcance, tomadas em alturas corretas, evitando esforços, luzes de emergência e interruptores sinalizados com LED, para proporcionar maior segurança a noite. Além de artifícios bem comuns em projetos, como portas dos cômodos leves e de fácil abertura, puxadores tipo alavanca com bordas arredondadas, cabideiros em alturas diferentes, tábua de passar dobrável, economizando espaço e possibilitando o uso por pessoas em pé ou sentadas.

                     Foto: acervo escritório arqMULTI Arquitetura
(Descrição para cego ver: a foto mostra um banheiro. Em destaque um balcão branco suspenso com cuba embutida, torneira instalada na lateral direita e espelho ao fundo. Ainda em cima do balcão uma toalha de mão em toalheiro de aço inox e um vaso com florzinhas. No segundo plano da foto, à esquerda, um vaso sanitário branco.)
   
    O uso de tapetes deve ser evitado, a não ser que fiquem embutidos no piso. Já os armários em geral devem ser previstos com portas de correr e em áreas como cozinhas e banheiros serem um pouco mais suspensos, deixando vãos livres sobre as pias.
   O melhor disso tudo é que não há aumento de custo com esses itens, ainda evita gastos futuros desnecessários para adaptação dos ambientes.
   Mas, para os interessados em projetos mais sofisticados, fazendo uso da tecnologia, podem ser utilizados dispositivos como varal elétrico, sensor de inundação e alarme de emergência nos banheiros (no caso de quedas ou situações de perigo ao usuário).

                                          Foto: extraído da internet
(Descrição da foto para cego ver: a foto mostra um varal preso ao teto. No canto inferior direito da imagem, uma mão apontando um pequeno controle remoto. No canto inferior esquerdo a inscrição "varal eletrônico" e no canto superior direito está escrito "capacidade para até 14 quilos".)

  Seguir os princípios do desenho universal (mobiliário, acessórios e equipamentos projetados de forma que todas as pessoas possam utilizar) faz dos espaços ambientes atemporais, acompanhando as necessidades dos clientes ao longo do tempo.

   Então não deixe de contratar um especialista. Este profissional estará habilitado para pensar em todos esses detalhes e, dessa forma, você estará economizando tempo e dinheiro de futuros ajustes ou adaptações. Um espaço bem planejado garante bom uso por muitos anos. 

Nenhum comentário: